Marxismos con antropologías. 2° taller virtual del GEAC.

Marxismos con antropologías. 2° taller virtual del GEAC.

Articulada con el marxismo, la vocación antropológica se convierte en práctica de análisis y acompañamiento político de las alteridades rebeldes; aquellas que transbordan y transgreden la pretensión totalitaria de la producción capitalista y su parafernalia político-institucional. Hablar de marxismo con antropologías es reinscribir el análisis crítico y situado de la vida colectiva en el horizonte … Continuar a ler

Marxismos com antropologias. 2ª oficina virtual do GEAC.

Marxismos com antropologias. 2ª oficina virtual do GEAC.

Articulada com o marxismo, a vocação antropológica se converte em prática de análise e acompanhamento político sistemático das alteridades rebeldes — das invariantes comunistas? — que transbordam e transgridem a pretensão totalitária da produção capitalista e da sua parafernália político-institucional. Falar de marxismos com antropologias é, portanto, re-inscrever a análise crítica e situada da vida … Continuar a ler

“O agora não cabe no Lattes”. Conspirações no IFCH ocupado

“O agora não cabe no Lattes”. Conspirações no IFCH ocupado

As ocupações suspendem o tempo institucional e nos permitem estranhar sua inexorabilidade — “o agora não cabe no Lattes”, dizia a faixa dependurada nos corrimãos do IFCH. Por isso, quando soubemos da ocupação do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas  da UFRGS, fomos correndo propor uma atividade de conspiração neste campus que é agora território de … Continuar a ler

O neoliberalismo é, hoje, um paradoxo que dilui a fronteira entre em cima e embaixo, exploração e resistência. Entrevista com Verónica Gago.

O neoliberalismo é, hoje, um paradoxo que dilui a fronteira entre em cima e embaixo, exploração e resistência. Entrevista com Verónica Gago.

Entrevistadorxs: Amador Fernández-Savater, Marta Malo e Débora Ávila.  Tradução: Grupo de Estudos em Antropologia Crítica (GEAC). Originalmente publicada no El Diario. Empreender, se virar, seguir em frente, sobreviver, progredir e, para tudo isso, conquistar espaços e tempos sob condições de expulsão e despossessão: o motor das economias populares tem a ver com este conatus, com esta … Continuar a ler