Latest Entries
Autonomía teórica crítica. Productos de una máquina de ideas.

Autonomía teórica crítica. Productos de una máquina de ideas.

En el encuentro “Máquina de ideas: autonomía teórica crítica y movimiento de lo social”, realizado por el Grupo de Estudios en Antropología Crítica (GEAC) en la Universidad Javeriana de Bogotá el pasado 21 de octubre, presentamos nuestra trayectoria de reflexiones y discutimos algunos conceptos desarrollados en recientes actividades de auto-formación. A continuación, ofrecemos el registro … Continuar a ler

Indisciplinar a universidade, exercer a rebelião – Roda de Conversa com o GEAC

Indisciplinar a universidade, exercer a rebelião – Roda de Conversa com o GEAC

O que sustenta a fronteira disciplinar? Como o extrativismo cognitivo pacifica a nós mesmos e aos outros? A ética ativista pode interromper o ethos liberal da academia? Protagonismo estudantil e devir revolucionário da Universidade. (O relato da roda de conversa já está disponível no blog do GEAC. Para lê-lo, clique aqui) * * * Quando … Continuar a ler

GEAC 2017: Antropologia, acontecimento, possíveis, hipótese comunista, teoria social

GEAC 2017: Antropologia, acontecimento, possíveis, hipótese comunista, teoria social

O Grupo de Estudos em Antropologia Crítica já está preparando sua agenda de atividades para 2017, ano em que se festeja o centenário da Revolução de Outubro. Uma oficina virtual do GEAC e um conjunto de textos especiais estão sendo organizados para os próximos meses. Em Outubro de 2017 nos encontraremos em Porto Alegre para discutir … Continuar a ler

Realismo crítico, relações sociais e defesa do socialismo

Realismo crítico, relações sociais e defesa do socialismo

Por Roy Bhaskar (tradução: Grupo de Estudos em Antropologia Crítica – GEAC) A relação entre conhecimento social, ou teoria, e prática social (mais especificamente socialista) tomará a forma de uma espiral emancipatória na que um conhecimento mais profundo possibilite novas formas de prática, que conduzam, por sua vez, a uma maior compreensão e a novas … Continuar a ler

O neoliberalismo é, hoje, um paradoxo que dilui a fronteira entre em cima e embaixo, exploração e resistência. Entrevista com Verónica Gago.

O neoliberalismo é, hoje, um paradoxo que dilui a fronteira entre em cima e embaixo, exploração e resistência. Entrevista com Verónica Gago.

Entrevistadorxs: Amador Fernández-Savater, Marta Malo e Débora Ávila.  Tradução: Grupo de Estudos em Antropologia Crítica (GEAC). Originalmente publicada no El Diario. Empreender, se virar, seguir em frente, sobreviver, progredir e, para tudo isso, conquistar espaços e tempos sob condições de expulsão e despossessão: o motor das economias populares tem a ver com este conatus, com esta … Continuar a ler