Latest Entries
“Rememorar Outubro, pensar mais além da ‘agência'” e “Uma martelada na cabeça”

“Rememorar Outubro, pensar mais além da ‘agência'” e “Uma martelada na cabeça”

As situações narradas por Luis Brunetto em “Uma martelada na cabeça” (Un martillazo en la cabeza) não podem mais do que soar extemporâneas, e até mesmo incríveis, aos ouvidos de uma ciência social conformada com abordar as assimetrias de poder e as desigualdades do seu tempo sob o prisma daquilo que poderíamos denominar, muito genericamente, … Continuar a ler

Totalitarismo, último estágio do capitalismo? Reflexões em diálogo com Marx e Spinoza.

Totalitarismo, último estágio do capitalismo? Reflexões em diálogo com Marx e Spinoza.

Por Frédéric Lordon Tradução realizada pelo Grupo de Estudos em Antropologia Crítica (GEAC) A perspectiva de Marx sobre as relações salariais é insubstituível, mas nada nos impede de completá-la com uma antropologia das subjetividades desejantes. Contudo, para fazê-lo precisamos liberar a ideia de “subjetividade” de todos os correlatos (cogito, livre arbítrio, capacidade de auto-determinação) que … Continuar a ler

Transindividualidad e (in)consistencia de lo colectivo…

Transindividualidad e (in)consistencia de lo colectivo…

Por Bernard Aspe. Traducción de Andrés Abril. Si la libertad es aquello que expande, lo demoniaco es eso que en nosotros desea el retorno a la estrechez, y el encerrojamiento en esa estrechez. (…) Queda a cargo de los colectivos revolucionarios —es decir aquellos que correrían el riesgo de tomar nuevamente en serio lo que indica … Continuar a ler

Marxismos con antropologías. 2° taller virtual del GEAC.

Marxismos con antropologías. 2° taller virtual del GEAC.

Articulada con el marxismo, la vocación antropológica se convierte en práctica de análisis y acompañamiento político de las alteridades rebeldes; aquellas que transbordan y transgreden la pretensión totalitaria de la producción capitalista y su parafernalia político-institucional. Hablar de marxismo con antropologías es reinscribir el análisis crítico y situado de la vida colectiva en el horizonte … Continuar a ler

Marxismos com antropologias. 2ª oficina virtual do GEAC.

Marxismos com antropologias. 2ª oficina virtual do GEAC.

Articulada com o marxismo, a vocação antropológica se converte em prática de análise e acompanhamento político sistemático das alteridades rebeldes — das invariantes comunistas? — que transbordam e transgridem a pretensão totalitária da produção capitalista e da sua parafernália político-institucional. Falar de marxismos com antropologias é, portanto, re-inscrever a análise crítica e situada da vida … Continuar a ler

“O agora não cabe no Lattes”. Conspirações no IFCH ocupado

“O agora não cabe no Lattes”. Conspirações no IFCH ocupado

As ocupações suspendem o tempo institucional e nos permitem estranhar sua inexorabilidade — “o agora não cabe no Lattes”, dizia a faixa dependurada nos corrimãos do IFCH. Por isso, quando soubemos da ocupação do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas  da UFRGS, fomos correndo propor uma atividade de conspiração neste campus que é agora território de … Continuar a ler

Autonomía teórica crítica. Productos de una máquina de ideas.

Autonomía teórica crítica. Productos de una máquina de ideas.

En el encuentro “Máquina de ideas: autonomía teórica crítica y movimiento de lo social”, realizado por el Grupo de Estudios en Antropología Crítica (GEAC) en la Universidad Javeriana de Bogotá el pasado 21 de octubre, presentamos nuestra trayectoria de reflexiones y discutimos algunos conceptos desarrollados en recientes actividades de auto-formación. A continuación, ofrecemos el registro … Continuar a ler

Indisciplinar a universidade, exercer a rebelião – Roda de Conversa com o GEAC

Indisciplinar a universidade, exercer a rebelião – Roda de Conversa com o GEAC

O que sustenta a fronteira disciplinar? Como o extrativismo cognitivo pacifica a nós mesmos e aos outros? A ética ativista pode interromper o ethos liberal da academia? Protagonismo estudantil e devir revolucionário da Universidade. (O relato da roda de conversa já está disponível no blog do GEAC. Para lê-lo, clique aqui) * * * Quando … Continuar a ler